Botequim ordinário, onde se vendia o café a dez reis cada xícara.

14
Fev 11

O caso da senhora morta há nove anos e depositada na sua casa tem feito surgir, em catadupa, novos episódios semelhantes ou quase. Não culpemos o Estado, nem a Segurança Social, nem o Ministério das Finanças, nem as Juntas de Freguesia, a quem não  compete, nem têm meios, para velar pelos velhos. Atiremos pedras, e grandes, ao Ministério da Justiça e forças policiais, pelo seu comportamento que, nem de burocrático se pode denominar, mas de desprezo absoluto perante os cidadãos que com os seus impostos os sustentam. Culpe-se, acima de todos a família: filhos, irmãos, sobrinhos, primos, quem quer que seja, que só se lembram dos velhos para lhes sacar dinheiro, quando o têm, e lhes votam o mais completo desprezo se forem pobres como Job. Segundo os jornais, um familiar chegado da falecida da Rinchoa, anda em pulgas para sacar da casa os tarecos que por lá estão, mas não fez o que devia aquando do desaparecimento da sua parente.

 

David Pires 

publicado por Café de Lepes às 18:09

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

GERÊNCIA
Carlos Canas * David Pires * Julião Mora * Marco Almeida* Mário Aleixo * Tiago Paisana * Tomás Salavisa
blogs SAPO