Botequim ordinário, onde se vendia o café a dez reis cada xícara.

11
Fev 11

"Em nome de Deus, o misericordioso, cidadãos, perante as difíceis circunstâncias que o Egipto atravessa, o Presidente Hosni Mubarak decidiu deixar o cargo de presidente e encarregou o Conselho Supremo das Forças Armadas de administrar o País. Que Deus ajude toda a gente." Esta a curta declaração do vice-presidente Omar Suleiman transmitida pela televisão. E agora? Alguém de bom senso acredita que foi apenas o Povo, sem qualquer força na rectaguarda, quem alimentou aquele intenso fogo. O que resultará daquele tremendo movimento, quase pacífico, consequência de um nível de vida baixíssimo e, portanto, de enormes dificuldades para a maioria dos egípcios. Espera-se que, do fervente caldeirão, não saia um movimento que invocando o Profeta transforme o Egipto num segundo Irão.

 

Carlos Canas

publicado por Café de Lepes às 23:50

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25
26

27


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

GERÊNCIA
Carlos Canas * David Pires * Julião Mora * Marco Almeida* Mário Aleixo * Tiago Paisana * Tomás Salavisa
blogs SAPO